Saiba mais sobre o Coaching Executivo

O QUE É COACHING

Segundo a Federação Internacional de Coaching, o Coaching profissional é um processo de acompanhamento reflexivo e criativo com clientes que são inspirados a maximizar seu potencial pessoal e profissionalGosto desta definição porque reflexão e insights (criatividade) são pontos fundamentais no Coaching.

 

Em outras palavras, posso dizer que o Coaching é um processo a ser vivido pelo cliente com o apoio do coach, para se superar um desafio ou conquistar um objetivo. Neste processo, o autoconhecimento é fundamental para que se estabeleça um ponto de partida, bem como iniciativa e disposição para encontrar novos pontos de vista sobre si e sobre o ambiente.

As principais ferramentas do Coaching são:

  1. Perguntas

  2. Silêncio

  3. Ressignificação

É importante não confundir o Coaching com treinamento, consultoria, aconselhamento, assessoria, curso, aula, terapia ou análise, tanto que o Coaching não trata do passado. O Coaching trata do estado presente e do estado desejado.

Alguns termos que podem confundir um leigo:

Coaching >> é o processo;

Coach >> é o profissional que realiza o Coaching;

Coachee >> pronuncia-se "coutí" - é o cliente do Coach.

OBJETIVOS

O Coaching Executivo é voltado a profissionais, empresários ou executivos, que desejam:

  • Obter melhores resultados em suas especialidades;

  • Conquistar posições superiores em seus negócios;

  • Passar por transições de carreira com segurança;

  • Refletir ou definir objetivos profissionais;

  • Ter mais autoconhecimento;

  • Superar desafios momentâneos;

  • Lidar com os desafios do dia a dia.

QUEM É O COACH EXECUTIVO

Nos cursos de língua Inglesa, aprendemos que o "Coach" é o treinador esportivo. As práticas do Coach Executivo podem ter semelhanças com as do treinador esportivo, mas há também diferenças entre um e outro.

Semelhanças

  • Mesmo não tendo habilidades extraordinárias na especialidade do cliente, tanto o treinador esportivo quanto o Coach são capazes de acompanhar o cliente na busca por melhoria de performance;

  • Ambos apoiam o cliente na definição de objetivos e metas audaciosos;

  • Ambos devem desenvolver grande empatia pelo cliente, ouvi-lo na essência e estar atentos a mudanças comportamentais, verbais e emocionais;

  • O treinador esportivo e o Coach Executivo podem e devem usar meios de ajudar o cliente a se conhecer melhor, identificar e entender as próprias forças e fraquezas, planejar iniciativas para conquistar resultados melhores e realizar tais iniciativas.

Diferenças

  • O Coach Executivo não diz ao cliente o que ele deve fazer;

  • O Coach Executivo não qualifica o cliente e seus resultados como bons ou ruins (não há julgamentos no Coaching);

  • O Coach Executivo faz o possível para "não existir" durante a sessão; ele apenas cumpre o papel de "espelho" para o cliente. Ou seja, o Coach não faz inferências; ao contrário, permite que o próprio cliente perceba a si mesmo e o ambiente por novos ângulos, seguindo o próprio conhecimento e a própria intuição.

Então, o Coach Executivo é o profissional que cria condições para que o seu cliente, seja ele empreendedor, administrador ou especialista, perceba melhor a si mesmo e o ambiente, ampliando o seu mapa mental e podendo implementar iniciativas que permitam ganhar performance no trabalho.

Por fim, é importante esclarecer, também, que o Coach Executivo não é o sujeito que fica gritando palavras de incentivo, cheio de energia, como um palestrante motivacional. Não necessariamente! Se você tem visto isso na Internet ou em eventos, saiba que se trata de uma característica de um ou outro profissional, ou tem a ver com o objetivo de determinado evento ou grupo. Pode ser bastante positivo em algumas circunstâncias ou para certos perfis de cliente, mas nem todo Coach faz isso.

POLÊMICA

O Coaching tem ganhado muitos adeptos, mas também muitos críticos. Na minha opinião, os principais motivos para este fenômeno são:

Adeptos

  • Pelos resultados que o Coaching proporciona. Funciona, mesmo!

  • O Coaching Executivo é algo novo. Nasceu da combinação de várias técnicas desenvolvidas ao longo do século XX, por gênios como Carl Rogers (1902 – 1987), Fritz Pears (1983 – 1970), Milton Erickson (1901 – 1980), Virgínia Satir (1916 – 1988), dentre outros; somadas à contribuição fundamental de John Grinder e Richard Brandler, que criaram a PNL - Programação Neurolinguística, na Universidade da Califórnia, no início dos anos 1970. Ou seja, o Coaching é relativamente novo. Por isso, tem chamado a atenção. É importante dizer que apesar de ser novo, não é um modismo. Veio para ficar!

  • Facilidade de formação de novos Coaches. Praticamente qualquer pessoa que tenha empatia, caráter, interesse genuíno no próximo, capacidade de escutar, respeitar e fazer provocações com equilíbrio, pode se formar Coach e sentir-se bem ajudando as pessoas a prosperar.

Críticos

  • Muitas pessoas sem a formação adequada se autointitulam Coaches e acabam cometendo equívocos ao não aplicar adequadamente as técnicas e ferramentas do Coaching;

  • Pelo grande volume de mensagens motivacionais circulando pela Internet, criadas ou simplesmente encaminhadas por supostos Coaches. Um Coach deve ter otimismo, acreditar na autorresponsabilidade e que cada um de nós é capaz de encontrar alternativas para os desafios da vida, mas não é, necessariamente, o sujeito que fica gritando palavras de incentivo, cheio de energia, com ar motivacional;

  • Pelo fato de haver formações de Coaching rápidas e baratas, há um grande número de Coaches surgindo no mercado. Não se pode generalizar, mas nem todos que passam por estas formações estão totalmente prontos para atuar como Coaches.

Siga-me nas mídias sociais

  • Branca Ícone Instagram
  • White Facebook Icon
  • White LinkedIn Icon

© 2020 Fabiano Parreiras

Ikigai Branding, Consultoria e Desenvolvimento Ltda

 

Rua Tiradentes, 78 - 3º andar Centro, Itaúna / MG 35681-510

CNPJ 32.403.534/000155