Autossabotagem

Atualizado: Jun 23

A autossabotagem acontece quando o indivíduo sofre algum prejuízo ou abre mão de uma conquista, de uma situação melhor do ponto de vista racional, por causa de uma "crença limitante".


Em Billions, um seriado da Netflix, o bilionário Axelrod conta com os serviços de Wendy, uma médica-psicóloga, em tempo integral. Ela atua como coach de toda a equipe do escritório de ações e valores, bem como do próprio empresário. Um dia, depois de tomar um prejuízo de milhões de dólares numa jogada desastrada, Axelrod chamou Wendy para conversar. Ele queria entender por que se permitiu tomar aquele prejuízo.


Ao longo de horas de conversa, entre um assunto e outro, Axelrod contou a Wendy que nos últimos meses, vinha pagando o tratamento de um funcionário que morreu de câncer. Este funcionário tinha informações preciosas sobre a empresa e havia sido intimado a depor num processo judicial contra o próprio Axelrod. Semanas antes da audiência, o médico contou ao empresário que uma nova droga poderia prolongar a vida do sujeito doente, mas Axelrod pediu que o médico ocultasse o surgimento da droga, alegando que aquilo serviria apenas para prolongar o sofrimento do sujeito. O homem com câncer veio a falecer dias depois, sem ter a chance de depor contra Axelrod.


Ao fim do dia, depois de muita conversa, o próprio empresário concluiu que havia tomado o prejuízo de milhões de dólares como forma se punir por ter "roubado" dias de vida do seu funcionário, a fim de impedi-lo de depor no processo.


Saindo da ficção e mudando um pouco de assunto, você conhece alguém que tem um talento especial, habilidades com as mãos, ou o dom da oratória, ou ainda, uma capacidade criativa diferenciada, mas não consegue prosperar? Você diz a esta pessoa que ela poderia estar numa situação melhor e ela responde algo como: - É complicado!


Ambos os casos, o trecho de Billions e a inércia de alguém talentoso que você possa conhecer, são exemplos de autossabotagem.


Apenas dois tipos de crenças podem afastar você de uma situação melhor:

1. Indignidade - eu não mereço (caso de Axelrod);

2. Incompetência - eu não consigo (o talentoso inerte).


Encontramos desculpas para não encarar desafios. Encontramos justificativas convincentes para eventuais prejuízos e oportunidades perdidas, mas no fundo, nós mesmos provocamos várias dessas perdas. E fazemos isso, na maioria das vezes inconscientemente, por causa das nossas crenças limitantes - indignidade ou incompetência. Ocorre que a nossa "programação mental", fruto das nossas heranças genéticas reagindo às nossas experiências ao longo da vida, nos faz pensar que a perda trará um "ganho" que compensa mais.


Geralmente, você sabe que está se autossabotando quando se encontra numa situação muito diferente da desejada. Quando seu grau de satisfação com a situação geral é baixo, provavelmente, você está se autossabotando. É diferente de alguém que se considera feliz, apesar de viver numa situação que você considera ruim. Talvez, aquela pessoa não conheça algo melhor ou não veja a situação pelo ângulo que você vê e esteja feliz, não desejando mudar.


E como parar de se autossabotar? Em primeiro lugar, é importante compreender que dificilmente encontramos soluções simples para problemas complexos. Portanto, paciência! Vários livros apresentam receitas como acordar de madrugada, dizer para si mesmo que você merece mais, meditar, etc. Tudo isso é válido, mas as coisas não acontecem num passe de mágica. A maioria das pessoas atravessa processos mais longos de autoconhecimento, com paciência e ajuda de outras pessoas. Alguns seres iluminados parecem tocados pelo Espírito Santo, mudando de vida depois de uma palestra motivacional, numa sessão de mentoria, ou lendo um livro, porém, são raros os casos assim.


Se você tem se queixado com frequência, sente inveja, carrega culpa, se compara com os outros, sente-se improdutivo e infeliz, valem todas aquelas receitas para uma vida melhor como alimentação balanceada, oração, boas noites de sono e exercícios físicos. Além disso, tenha paciência e a coragem de conhecer a si mesmo. Você terá mais condições de estabelecer metas, elaborar um plano de ação e executá-lo com foco e disciplina para conquistar objetivos maiores.