Prepare-se para 2022

Atualizado: 4 de jan.

Os economistas são treinados para apresentar tendências e não fazer previsões. Se você perguntar a um economista como será o próximo ano, ele dirá que as tendências apontam para isso ou aquilo, mas não poderá afirmar que será de um jeito ou de outro. Afinal, ninguém é capaz de prever o futuro, por causa de um fator que pode mudar a vida de qualquer pessoa, grupo ou empresa num piscar de olhos: a vontade.


Índices e tendências


Em 2022 teremos eleições para presidente da república do Brasil, com um cenário político polarizado e incerto. O mercado financeiro não gosta de incertezas e deve ser bastante afetado por isso, principalmente porque o nosso Estado é enorme e as decisões tomadas pela nossa classe política afetam a Economia bem mais do que a maioria de nós deseja. Nossa taxa básica de juros (SELIC) iniciou 2021 em 2%, fechará o ano em 9,25% e espera-se que chegue a 11,5% até o final de 2022. O Banco Central divulgou previsão de crescimento quase nula para o PIB (Produto Interno Bruto) do próximo ano, em 0,42%. A inflação deve ficar em 5,03% e o IPCA (Índice de Preço ao Consumidor Amplo) em 10,02%. Os dados da última PNAD (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio Contínua), divulgados em 28 de dezembro pelo IBGE, mostram 12,1% para o desemprego de agosto a outubro (estava em 13,7% de maio a julho e em 14,6% no mesmo período do ano passado), mas os analistas não preveem queda para 2022. Estes são boa parte dos números que os cadernos de Economia apresentam, nesta última semana de 2021.


A boa notícia é que todos os índices econômicos e as tendências apresentados pelos analistas exercem influência na sua vida, mas a sua vontade de fazer um ano melhor pode ser preponderante. Não se trata de uma vontade simples, daquele desejo de querer algo que ainda você ainda não possui, mas de uma vontade que tem a ver com fé, com uma visão de futuro que você tende a alcançar mesmo que surjam inúmeros obstáculos. Neste sentido, alguns comportamentos podem ajudar você a poupar tempo e energia, com especial atenção para duas palavras: foco e disciplina.


Foco


Tenho um amigo empreendedor que passou por um período de queda nos negócios há alguns anos. Na intenção de apresentar caminhos para reverter a situação, um outro amigo disse a ele que sabia de um negócio com boas margens, que se encaixava no seu perfil.


- Posso te contar o que é? - perguntou o outro amigo.


- Não! - respondeu o empreendedor.


Dando um grande exemplo de foco, o amigo empreendedor explicou que já estava empenhado num projeto com chances reais de sucesso. Dar atenção a uma nova ideia naquele instante serviria muito mais para desviar o foco do que para resolver a situação.


Ter novas ideias e iniciar negócios que nunca se firmam é uma característica de parte dos empreendedores mundo afora. Análises comportamentais demonstram que algumas pessoas gostam da emoção de empreender, de iniciar projetos, são inquietas, não gostam de rotina e não ligam muito para previsibilidade - os chamados empreendedores. Num grupo diferente temos os administradores, que preferem organizar, manter e concluir; gostam de previsibilidade, consistência, segurança e, portanto, têm mais facilidade em manter o foco em seus projetos ou negócios. É desejável que os empreendedores desenvolvam habilidades de administração e vice-versa, ou que os empreendedores que inovam, se arriscam, mas costumam deixar muitas pontas soltas, se unam a administradores que amarram as pontas e mantêm a organização.


Há poucos anos, o Brasil enfrentava um período de inflação crescente, greve dos caminhoneiros, aumento do desemprego e estagnação da Economia. Num encontro casual com uma amiga publicitária, ela contou que alguns de seus clientes vinham tendo grande sucesso em seus empreendimentos, apesar da situação econômica na qual o país se encontrava. Quando perguntei se existia um padrão nestes negócios que prosperavam em plena "crise", ela foi enfática:


- Foco. São empreendedores que têm algo que eu não tenho: foco. Eu adoro começar projetos e logo me distraio com uma nova ideia. Estes empreendedores que eu acompanho não desviam o foco dos seus negócios. Eles sofrem, aprendem e melhoram o negócio até que ele se torne realmente produtivo e eles possam usufruir dos resultados.


Logicamente, ter foco não é se fechar a oportunidades, tampouco persistir numa má ideia. Ter foco é dedicar-se a um projeto tanto quanto ele merece, desde que você tenha ponderado as informações e concluído que o projeto vale a pena, sem se desviar por algo mais prazeroso e que não vai gerar bons resultados.


Daniel Goleman, autor de "Inteligência Emocional" e "Foco" afirma que há três tipos de foco:

  1. Foco interno - pode ser um dos mais importantes. É a chave para que tenhamos metas e fiquemos em sintonia com nossos valores e decisões. A respiração e a meditação nos ajudam a manter o foco interno;

  2. Foco no outro - é a empatia, a capacidade de compreender o outro, de conectar-se. É impossível sentir o que a outra pessoa está sentindo, mas podemos compreender seus motivos e manter o entrosamento;

  3. Foco externo - necessário para o Planejamento Estratégico, necessário para entender os sistemas e as organizações, o foco externo nos ajuda a compreender o ambiente como um todo.

Disciplina


Uma vez, assisti o Dr. Drauzio Varella na televisão, apresentando o ponto de vista dele sobre o que é disciplina. Não me lembro das palavras exatas, mas era algo como "estar no sofá, assistindo seu programa de TV preferido, quando alguém traz a pipoca e, mesmo assim, você sai do sofá, calça o tênis, veste a bermuda e sai para correr porque chegou a hora do compromisso com a sua saúde".


Ter este nível de disciplina exige esforço. O ser humano tem uma tendência a encontrar justificativas por não fazer as coisas, ou procrastinar. Algumas pessoas dizem não saber como estão gordas comendo tão pouco, mas assaltam a geladeira à noite; outras custam a subir poucos lances de escada, mas justificam a falta de preparo dizendo que não têm tempo para duas ou três horas semanais de atividade física (uma semana tem 168 horas).


A verdade é que existe um ganho em cada ato de indolência ou procrastinação - um ganho imediato em detrimento de melhores resultados em longo prazo. Os motivos e os ganhos podem ser os mais diversos, cada indivíduo com os seus. O resultado é que um sujeito indolente deixará de fazer sua caminhada "porque o tênis está sujo", quando na verdade ele trocou um pouco de esforço e suor por mais dois episódios de uma série na TV. Um procrastinador deixará um telefonema importante para o dia seguinte "porque segunda-feira não é um bom dia para este tipo de ligação", quando na verdade está fugindo de um possível embate numa negociação apertada. Portanto, disciplina consiste em vencer o desconforto e fazer o que tem que ser feito.


P=NAV


Nosso professor e coordenador da pós-graduação em Gestão e Marketing nos ensinou lições que mudaram minha vida profissional. Uma delas é que a personalidade é resultado de uma herança genética, somada a estímulos do ambiente no qual crescemos e à nossa vontade. Temos, então, a fórmula "P = NAV", onde:

P - Personalidade;

N - Natureza (genética);

A - Ambiente;

V - Vontade.


Você é resultado da combinação dos genes de seu pai e sua mãe, apesar de que somente algumas características de um e de outro se manifestam em você. À medida que os anos passam, as pessoas com quem você convive, os fatos que testemunha e os fenômenos decorrentes das suas ações vão lhe ensinando lições de vida. Fechando a conta que resultará na sua personalidade, temos a sua vontade, ou aquilo que Sigmund Freud chamaria de ego - a forma como você se percebe e aceita ser percebido por você mesmo e pelos outros.


Você tem pouco ou nenhum poder sobre sua herança genética e sobre o que acontece no ambiente, mas tem o poder de decidir como lidar com suas próprias características e como reagir a cada acontecimento ao seu redor. É aí que entra a vontade e o desenvolvimento de suas habilidades de foco e disciplina.


Identifique as causas


Falta de foco e disciplina podem ser sintomas de autossabotagem, que é algo determinado pelo inconsciente. Por isso, muitas pessoas perdem oportunidades ou projetos e, depois, se martirizam porque conscientemente não queriam que a perda acontecesse. Parece que algo mais forte que o indivíduo tornou a perda inevitável - e foi isso mesmo que aconteceu.


Lembra da fórmula da personalidade? Herdamos e aprendemos muitas coisas desde o início da nossa existência, formando um sistema de crenças bastante complexo. Acontece que várias dessas crenças que construímos para garantir a nossa sobrevivência, podem nos atrapalhar - são as chamadas "crenças limitantes".


As crenças limitantes levam o indivíduo a tomar decisões erradas por interpretações distorcidas dos fatos. É comum encontrar pessoas que sabotam o próprio sucesso por preguiça, ou por acreditar que as pessoas de sucesso são más e desonestas, ou até por medo do próprio sucesso porque mantê-lo poderá ser doloroso e desgastante. As crenças limitantes se dividem em dois grupos:

  • Crença na incapacidade - a preguiça, por exemplo, pode ter origem na crença de que o esforço para se atingir um objetivo será grande demais. A crença na incapacidade paralisa o sujeito que olha para determinado objetivo que o deixaria extremamente feliz, mas não se sente capaz de alcançá-lo.

  • Crença na indignidade - o medo do próprio sucesso, por exemplo, pode ter origem na crença no não merecimento. Pode ser que o sujeito tenha passado boa parte da vida ouvindo as pessoas lhe dizerem que ele deveria sofrer muito para alcançar algo melhor. E por acreditar que não sofreu o bastante, o sujeito recusa o sucesso.

Se você tem reclamado que as coisas não dão certo, que apesar de todo seu esforço você se encontra numa situação pior do que gostaria, reflita sobre quais crenças podem estar impedindo você de conquistar o que deseja. Considere estas duas possibilidades:

  1. Você acredita que não consegue (incapacidade);

  2. Você acredita que não merece (indignidade).

O autoconhecimento é o melhor ponto de partida, seja qual for o destino.


2022 do jeito que você quer


Certamente, você já ouviu alguém dizer que nos momentos de crise, alguns choram enquanto outros vendem lenços. A despeito de quaisquer índices e tendências pessimistas que possam lhe apresentar, vamos a algumas práticas que podem ajudar você a prosperar em 2022:

  • Tenha um objetivo claro - você pode definir um objetivo simples como a aquisição de um bem, ou algo mais complexo como um propósito de vida. É importante ressaltar que definir muitos objetivos é receita certa para a perda de foco. Tenha um ou dois objetivos, no máximo;

  • Estabeleça metas - diferentemente do objetivo, que é uma situação, uma meta é um número a ser alcançado num prazo. Se o seu objetivo é ter uma casa própria, sua meta pode ser economizar um determinado valor por ano para dar entrada no imóvel. Lembre-se de estabelecer metas alcançáveis, mas desafiadoras, que façam você sair da sua zona de conforto;

  • Desdobre as metas - metas anuais ou mensais podem parecer inalcançáveis. Se for o caso, desdobre sua meta para números aparentemente mais fáceis de alcançar. Por exemplo, se conquistar 20 novos clientes por mês parece difícil, pense em um novo cliente por dia. Assim, pode ficar mais fácil bater suas metas;

  • Formalize - é incrível a força que os projetos ganham quando os colocamos no papel (ou num documento digital). Ao invés de guardar todo o seu projeto de 2022 na cabeça, escreva-o. Provavelmente, ajudará você a encará-lo de outra perspectiva ou, no mínimo, ajudará você a lembrar-se de detalhes importantes;

  • Comunique-se - converse com as pessoas que influenciarão ou serão influenciadas por seu projeto e suas iniciativas. É bem provável que elas facilitarão sua caminhada com boas ideias ou boas ações;

  • Mereça - se você sabe que precisa fazer um curso, desenvolver uma habilidade, perder um mau hábito ou adquirir um bom hábito, cuide disso. Tenha certeza de que fez tudo que é necessário para merecer um resultado superior e você não aceitará nada menos que isso;

  • Celebre - quando vencer cada etapa, quando bater uma meta, celebre. Vá jantar fora com quem você ama, curta um happy hour com os colegas, dê uma caneta nova de presente para você mesmo, ou simplesmente tenha alguns minutos de celebração com a equipe, deixando cada um falar o que acredita ter sido importante para vencer o desafio;

  • Livre-se das distrações infrutíferas - somos atingidos por um volume extraordinário de informações em diversos canais, as mídias sociais são projetadas para você perder seu tempo com futilidades, os alertas de e-mail nos distraem... Enfim, quando precisar se dedicar a uma tarefa, crie um ambiente "hermético" para fazer o que precisa ser feito;

  • Descanse - os gregos diziam que "o divertimento lubrifica a alma". Meditação, atividades físicas, conversas com os amigos... Qualquer coisa que permita a você recuperar a sua energia, ou simplesmente desligar-se da rotina, ajudará a manter o foco e a disciplina naquilo que é fundamental para o seu sucesso.

Um novo ano de muitas felicidades


Se você chegou até aqui na leitura deste texto, há uma chance enorme de você ter um ano de muitas felicidades em 2022. Você acabou de ler mais de 13 mil caracteres com o objetivo de preparar-se para o ano que se inicia. Saiba que muitas pessoas desistiram nos parágrafos anteriores e isso mostra que você é capaz de manter o foco e agir com disciplina. Se você soube chegar até aqui neste texto, saberá ir muito mais longe nos 365 dias deste novo ano.


Receba os meus parabéns e os meus votos de muito foco e disciplina em 2022!

Posts recentes

Ver tudo
whatsapp fabiano parreiras